24 de agosto de 2009

Contra o esquecimento


Acção da Amnistia Internacional em Viana do Castelo (1995)

A minha geração começou a ouvir falar de Timor-Leste em Outubro de 1989, com a polémica visita do Papa João Paulo II ao território então ocupado pela Indonésia. Mas Portugal só acordou defintivamente para o problema a 12 de Novembro de 1991. Nesse dia o exército indonésio disparou sobre manifestantes no cemitério de Santa Cruz, em Díli, e matou cerca de 200 pessoas. A manifestação pretendia homenagear um estudante morto pela repressão e os que não morreram no local acabaram capturados e mortos pelo exército nos dias seguintes. Mas também aconteceu algo que nos mudou a todos: as imagens do massacre chegaram às nossas televisões e do outro lado do mundo víamos jovens ensanguentados a rezar em português. A partir desse dia eu e muitos portugueses assumimos nunca mais esquecer. E assim foi.

Sem comentários: